segunda-feira, novembro 17, 2008

Quantum of what?...


Oh... I see...

Para começar, não ia à espera de uma grande história. Sabia que este filme era baseado numa short story, por isso os diálogos não iam abundar. No entanto, a ligação com o filme anterior fez com que a pequena narrativa ganhasse uma dimensão ainda maior do que se fosse baseada num livro a sério, o que me fez sentir quentinho por dentro (e é perfeitamente credível que a Eva Green provoque isto a um homem, mesmo a um espião de sangue frio).
Depois foi o ritmo da acção. Chiça, com tanto "rapid eye movement" ia virando o barco antes do primeiro quarto de hora. Movimentos de câmara incríveis, rapidez atroz e o parkour em grande. Imagino como seria se, nos anos 90, o James Bond tivesse aderido ao skate...
Finalmente, o artista de circo levado à sua essência mais rudimentar. Que imagem mais comovente, neste mundo em recessão, do que ver o mais requintado espião do mundo a caminhar quilómetros pelo deserto e a apanhar o autocarro como todos os bolivianos de ponchos coloridos que nós somos.
As bond girls? Não reparei... havia?...

2 comentários:

Anão6 disse...

Bom filme, boa companhia, boa foto!

El Felino disse...

Nada melhor do que poder partilhar boas experiências... Abraço!