sexta-feira, novembro 27, 2009

Wake up...

Há um ano ou dois, quando surgiram assim de rajada uma quantidade de bandas com sonoridades e nomes parecidos (The Killers, The Editors, The Shins, Artic Monkeys, Arcade Fire, Snow Patrol, Kings of Leon, entre outros) foi-me difícil conseguir distinguí-las logo de início. Vai daí, decidi que gostava de todas, apesar de não conseguir ligar as músicas aos grupos quando passavam na rádio. De todas estas, os Killers, os Kings of Leon e os Snow Patrol foram-se destacando na minha playlist e são hoje três das minhas bandas favoritas. De todas as outras, os Arcade Fire foram os que menos me atraíram. Sem razão aparente, não via ali um estilo definido. Eram músicas muito diferentes entre si. Algo que estava entre o "já ouvi isto em algum lado" e o "não sei muito bem o que esta música me faz sentir". Nessa indecisão, tornei-me indiferente.
No entanto, há uns dias atrás, estava a ouvir uma reportagem sobre um concerto dos Snow Patrol em Londres e um dos locutores disse: "Uma das músicas parecia uma versão dos Snow Patrol tocada pelos Arcade Fire". E eu pensei: "Mas alguém consegue distinguir o estilo dos Arcade Fire? Tenho de perceber melhor o que é que estes gajos têm de especial." Mal tive oportunidade, pus-me a pesquisar... e foi isto que encontrei:

Uma banda composta por mil e duzentos gajos (e gajas), a tocar todos os instrumentos possíveis e imaginários e a cantar em pleno pulmões!
Definitivamente, a atitude muda tudo.
Mais um bilhete que ninguém me tira!

3 comentários:

Anão6 disse...

Ainda estou a tentar encontrar a música dos Arcade Fire em que o DF se inspirou ao compor a Morning Tide. Ou talvez tenha sido mesmo só neles...

Mara disse...

Arcade fire é do melhor. Ao vivo então... tive a sorte de os ver, na altura ainda uns perfeitos desconhecidos, num final de tarde em Paredes de Coura há uns aninhos e só pensava: "Gandas malucos!" Quase me fizeram esquecer que tinha ido para ver outras bandas e artistas como os Queen of the Stone Age, os Foo fighters e o Nick Cave. Soam-me a criativos - se é que ainda é possível ser-se criativo na música ou noutra coisa qualquer -, soltos, expontâneos... Adoro! O "Funeral", especialmente. Uma banda para se ir descobrindo. :o)
Beijos!

Rui Quinta disse...

Meu querido! Eu sei que às vezes exagero...mas nem por acaso, ainda ontem falei neles. Para mim, são a melhor coisa que aconteceu à música desde o Ok Computer dos Radiohead. Ao vivo são 100 vezes melhor que os Radiohead. Deixo-te mais um link para banzamento: http://www.youtube.com/watch?v=S0Ff8dd5iV0&feature=PlayList&p=6FF7E18DCDF2FC58&index=0&playnext=1

(eu sei que é a mesma música mas é a versão que mais me arrepia!)