terça-feira, março 09, 2010

I wonder...


Admito: sou fã. Fui ver com olhos de fã. Fui ver com o meu inerente gosto pela visão (3D ou não) de Tim Burton. Gosto do facto de ele ter criado um universo próprio, uma linguagem própria, um estilo burtonesco. Gosto de visitar essa outra dimensão para onde as suas obras (sejam filmes ou não) nos levam. Que outra razão haveria para ver mais uma versão de Alice no País das Maravilhas? Que outra desculpa?...
O filme é brilhante, do realizador aos actores (sejam eles de carne e osso ou não), passando pelo pormenor que destabiliza esta história e a separa das outras versões: a deformação, mais do que física, do carácter. A deformação é sem dúvida o busílis da questão. A Alice não é Alice, a rainha de copas não é a rainha de copas, a rainha branca não é a rainha branca, o chapeleiro louco não é o chapeleiro louco, o gato não é o gato, a underland não é a underland. Os narizes caem, as orelhas também, as barrigas são falsas e tudo o resto se descola quando a deformação dá lugar à realidade e uma cabeça esvoaçante sorri para nós.
"I didn't know cats could smile..."

2 comentários:

Mara disse...

Sou suspeita. Adoro o Tim Burton. Adoro a loucura do Tim Burton. Adoro os mundos criados pelo Tim Burton. Claro que gostei do seu underworld, mas senti falta do ovo. E só do ovo. Tudo o resto estava lá. E era gaja para ter um caso com o Johnny Depp e com a Helena Bonham Carter - juntos ou separados :D. Gosto deles desde e até às entranhas :o)
Beijos!

El Felino disse...

Maravilhosas palavras... juntas ou separadas ;)
E sim, faltou o ovo a cavalo...